DALL·E 2024-05-27 14.50.46 - An image showing a comparison between Telebras and Starlink providing internet via satellite in remote areas. On the left side, show Telebras with a B

A Decisão do Governo Brasileiro em Priorizar a Telebras em Detrimento da Starlink

O governo brasileiro, sob a presidência de Lula, optou por utilizar a Telebras para fornecer internet via satélite em áreas remotas, em vez da Starlink, empresa de Elon Musk. Essa decisão foi tomada principalmente por dois motivos:

  1. Soberania e segurança nacional: O governo considera estratégico ter controle sobre a infraestrutura de comunicação do país, especialmente em áreas remotas e de fronteira. Acredita-se que a Telebras, como estatal, oferece maior segurança e confiabilidade no fornecimento de internet para escolas e outras instituições governamentais.
  2. Custos e concorrência: A utilização da Telebras pode ser mais econômica para o governo a longo prazo, já que a empresa já possui infraestrutura e expertise na área de telecomunicações. Além disso, a entrada da Telebras no mercado de internet via satélite pode estimular a concorrência e reduzir os preços para os consumidores.

Como o governo pretende fazer isso?

A Telebras já opera o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), que tem capacidade de fornecer internet banda larga em todo o território nacional. O governo pretende utilizar a infraestrutura já existente do SGDC e da Telebras para expandir o acesso à internet em áreas remotas, especialmente em escolas e unidades de saúde.

No entanto, existem desafios a serem superados. A tecnologia da Starlink, com sua constelação de satélites em órbita baixa, oferece algumas vantagens em relação à tecnologia geoestacionária do SGDC, como menor latência e maior velocidade de conexão. O governo precisará investir em tecnologia e infraestrutura para garantir que a Telebras possa oferecer um serviço de qualidade equivalente ou superior ao da Starlink.

Por que o governo não usou o satélite antes?

O governo brasileiro já possuía o SGDC desde 2017, mas sua utilização para fornecer internet banda larga em áreas remotas enfrentou alguns desafios:

  • Infraestrutura terrestre: A utilização do SGDC para fornecer internet exige uma infraestrutura terrestre de recepção e distribuição do sinal, como antenas e equipamentos de comunicação. A construção dessa infraestrutura em áreas remotas e de difícil acesso pode ser complexa e onerosa.
  • Prioridades do governo anterior: Durante o governo anterior, a prioridade do SGDC era a comunicação estratégica e a defesa nacional. A utilização do satélite para fornecer internet banda larga não era uma prioridade política naquele momento.
  • Questões orçamentárias: A construção da infraestrutura terrestre e a implementação de um programa de acesso à internet via satélite exigem investimentos significativos. Em um cenário de restrições orçamentárias, o governo anterior pode ter optado por adiar esses investimentos.
  • Limitações tecnológicas: O SGDC, por ser um satélite geoestacionário, possui algumas limitações tecnológicas em relação aos satélites de órbita baixa, como a Starlink. A latência (tempo de resposta) do SGDC é maior, o que pode prejudicar a qualidade da conexão em algumas aplicações, como jogos online e videoconferências.

Com a mudança de governo e a priorização da inclusão digital, o novo governo decidiu investir na utilização do SGDC para expandir o acesso à internet em áreas remotas. Apesar dos desafios, o governo acredita que a Telebras, com sua expertise em telecomunicações, será capaz de implementar um programa de acesso à internet via satélite eficiente e de qualidade.

A decisão de priorizar a Telebras em detrimento da Starlink pode ser vista como uma escolha impulsionada por ideologias de soberania e segurança nacional, bem como pela tentativa de fomentar a concorrência e reduzir custos. No entanto, essa decisão pode resultar em atrasos e desafios tecnológicos que precisam ser enfrentados com investimentos substanciais. É crucial que o governo equilibre a busca por soberania com a necessidade de oferecer uma conexão de qualidade e eficiente para áreas remotas do Brasil.

#Telecom #Tecnologia #Inovação #Governo #InclusãoDigital #Telebras #Starlink

Gostou do artigo? Não se esqueça de curtir e compartilhar o artigo para ajudar mais pessoas com dúvidas em tecnologia.

en_US